segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

"Crua escuridão"

(RAP/POEMA ORIGINAL ACERCA DOS INFORTÚNIOS DO SER HUMANO)

Cliquem no "play" antes de ler!

video
Neste mundo de desacatos, inexperientes e calouros,
Quem furta e quem rouba é quem recebe os louros.
A ira, a fúria, o rancor e a obstinação,
São as armas que usas contra o teu próprio coração.
Escondidos atrás de boatos, rumores e olhares,
Difamas e destróis, sem a ti julgares.
Abalamos das discussões com pedras na mão,
Mostramo-nos seres sem sangue, sem amor, sem paixão.
Manchamos a imagem de amigos, família e Deus,
Os interesses com que lidas são somente os teus.
Falsos, hipócritas, juízes de nós mesmos,
É só uma amostra do que somos;
Comemos os outros como banais torresmos,
Já que sempre seres humanos fomos.
Devotos na guerra, crentes na vaidade,
Ciumentos, ladrões, mentirosos, o que for,
Damos as mãos à falsidade, abraçamos a crueldade,
E fazemos tudo isto com tamanho esplendor.
Para quê ser voluntário, altruísta,
Religioso e inocente,
Se a vida não passa de um ato egoísta,
E se a todos enganamos com tal discurso convincente.
Só usamos golpes baixos à base de presunção,
Por isso fica atento, irmão, a este refrão.
Manipulamos e somos manipulados,
Apunhalamos com punhais,
Passa-nos ao lado o nosso ar de desgraçados,
Onde não passamos do patamar dos animais.
Descemos baixo sem o verbalizar,
Tudo isso para um posto conquistar,
E por mais que esteja para aqui a cantarolar,
Um mundo novo não vou eu desarrolhar!

1 comentário:

Um comentário vale mais que mil palavras! Thanks :)