sábado, 22 de outubro de 2011

O que me irrita na minha geração

Não pretendo ser desprovida de honestidade, por isso, aqui vai a (extensa) listagem.
Odeio, odeio quando as criancinhas (sim, 12 anos!) se acham dignas de subir de posto pelo facto de terem namorado (bêbado e drogado). Acho ridículo aquelas menininhas que só recebem elogios dos avós e dos namorados (imaginários), se porem a abraçar gente meramente "conhecida", como se andassem com uma placa a dizer: não me subestimem! Não suporto aquela capa de gente pródiga, de gente culta, de gente icónica, que tantas (e tantos) insistem em colocar. Asco é o que melhor traduz estas pessoas. Nunca me cabe na cabeça aquela gentinha que usa óculos sem precisar, só porque a última tendência são óculos ray-ban. O que também não entendo é que mesmo nos actos discretos, a figura delas torna-se por si só sobeja, excessiva. Quando olho de relance, elas só me conseguem criar ambiguidade, porque penso que eu e outras pessoas somos mesmo diferentes. O mundo está assim, quem é diferente é porque é demasiado normal. Não me cabe na cabeça segredarem tanto, por uma questão de competição entre quem é a mais popular, como se devessem algo a alguém. Bibliografia, é simples: actos descabidos, palavras sem nexo, facebook´s, verbos audazes, olhares ousados, os latidos das cordas vocais e muita, muita lata! Foi só um desabafo.

1 comentário:

Um comentário vale mais que mil palavras! Thanks :)