sexta-feira, 16 de abril de 2010

Os nossos tempos,.,

Hoje temos casas maiores e famílias mais pequenas. Mais comodidades, mas menos tempo. Temos mais diplomas mas menos senso comum. Mais conhecimento, mas menos discernimento. Temos mais especialistas, mas mais problemas. Mais medicina, mas menos vigor. Gastamos imprudentemente, rimo-nos muito pouco, guiamos muito depressa, zangamo-nos demasiado e muito facilmente, ficamos acordados até muito tarde, lemos muito pouco, vemos demasiada tv e rezamos muito raramente. Multiplicamos as nossas posses, mas diminuímos os nossos valores. Falamos demais, amamos menos e mentimos muitas vezes. Aprendemos a ganhar dinheiro mas não a vida. Acrescentámos anos à nossa vida, mas não vida aos nossos anos. Temos prédios maiores, mas fervemos em pouca água. Estradas mais largas, mas pontos de vistas mais pequenos. Gastamos mais mas temos menos. Compramos mais, gozamos menos. Fomos à lua e voltámos, mas temos dificuldade em atravessar a rua e ir ter com os nossos vizinhos. Conquistámos o espaço sideral, mas não o espaço interior. Cindimos o átomo mas não os nossos preconceitos. Escrevemos mais, aprendemos menos, planeamos mais, mas realizamos menos, aprendemos a ter pressa mas não a esperar, temos maiores salários mas menos ética. Há mais computadores, mas comunicamos menos, há muita quantidade, mas menos qualidade. Estes são tempos de comida rápida e digestão lenta, como homens altos e baixesa de carácter. Mais lazer, mas menos divertimento, mais alimentos, mas pior nutrição, dois salários, mas mais divórcios, casas mais luxuosas, mas lares desfeitos.
A vida é uma cadeia de momentos de prazer, e não apenas sobrevivência. Usa os teus copos de cristal, usa o teu melhor perfume, e volta a usá-los sempre que te apetecer...

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Maquilhagem..

Um caso muito comum nos famosos e que geralmente tem vias de aumentar.
Mas, actualmente, qualquer pessoa se preocupa mais com o seu aspecto, com a influência que pode provocar nos outros com uma simples base ou sombra, é o que acontece quando se olham ao espelho e se sentem desconfortáveis consigo mesmas. Claro que isto acontece mais nas raparigas, umas para melhorar a auto-estima (ainda é a razão mais plausível), umas para disfarçar as borbulhas diárias, outras para impressionar alguém de que gostem, outras simplesmente por imitação, outras por seguir as últimas tendências da moda e outras por serem diferentes... Mas se para serem simplesmente "diferentes" têm de sujeitar a sua bonita pele? Não acham nada de errado?
O que eu acho é que essas pessoas aparentam ser o que não são, e se se deixassem disso e se mostrassem ao natural? Aposto que de uma coisa tinham a certeza, os seus amigos gostariam deles pelo que são e não pelo que aparentam ser.
Tudo é relativo, é claro que um bocadinho não faz mal, mas quanto menos melhor.
Hoje em dia qualquer novo anúncio de maquilhagem com uma nova função excita a sociedade, especialmente os jovens, e por isso tendem a exagerar na dose!!